Conheça o modelo de prestação de Serviço de Transporte de Cargas

As empresas que trabalham com serviço de transporte de carga no Brasil devem ficar atentas aos documentos necessários para essa movimentação. Não importa se você faz o transporte terrestre, ferroviário, aéreo ou hidroviário, é importante fazer a emissão de documentos, eles devem acompanhar as mercadorias desde a saída da sua empresa até a chegada ao consumidor final.

Se você começou a trabalhar agora nesse negócio e está com dificuldade para entender como funciona e quais os documentos e modelos de prestação de serviço deve fazer, esse artigo é para você. Esse assunto é bastante complicado mesmo e muitos empresários antigos ainda têm dificuldade nessa área e precisam de pessoas especializadas nesse assunto para dar todo o suporte.

É importante saber que, a falta desses documentos na movimentação e transporte do seu produto, pode gerar multas altíssimas e muita dor de cabeça, além disso, a empresa corre o risco de perder os produtos. Então aprenda o que é CTe, as suas vantagens e os tipos de documentos deve fazer.

A CTe é o Conhecimento de Transporte Eletrônico, ele é um dos principais documentos eletrônicos exigidos para o transporte de carga, juntamente com ele, outro documento muito importante, e um dos principais é o MDFe – Manisfesto Eletrônico de Documentos Fiscais. Cada um desses documentos tem uma função e precisa ser emitido pela empresa de transporte.

O CTe – É o documento emitido e armazenado no meio eletrônico, ele equivale a nota fiscal de prestação de serviço, não importa o tipo da carga que você vai fazer, como já mostramos, pode ser terrestre ou de qualquer outra forma. O CTe tem validade em todo o território nacional e até substitui documentos fiscais como o conhecimento de transporte rodoviário de cargas e o conhecimento de transporte ferroviário de cargas, por exemplo.

MDFe – Assim como o CTe ele também é emitido e armazenado no meio eletrônico, o seu propósito é agilizar o registro em lote dos documentos fiscais que estão em trânsito e identificar a unidade de carga que foi utilizada, além de ter outras funções. O MDFe é gerado depois do registro do CTe e também é válido em todo o território brasileiro. Ele é reconhecido para acompanhar o trânsito e o recebimento das mercadorias.

DACTE – Esse é o Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico, é um documento simplificado do CT-e. Tem a função de acompanhar a mercadoria que está em trânsito e contém as informações necessárias, mas ele não é reconhecido como um conhecimento de transporte e não o substitui o CTe.

DAMDFE – Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais, ele é como o DACTE, um documento simplificado do MDFe. O objetivo desse documento é acompanhar o transporte que contém as informações do trânsito dos documentos da carga.

Mais informações sobre o CTe

É importante saber que o CTe substitui alguns documentos fiscais em papel como já falamos anteriormente, saiba então quais documentos que a legislação permite essa substituição:

  • Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas;
  • Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas;
  • Conhecimento Aéreo;
  • Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte;
  • Nota Fiscal de Serviço de Transporte Ferroviário de Cargas.

Aqueles que não podem ser substituídos devem continuar sendo emitidos de acordo com a legislação em vigor. Para finalizar, você deve saber que é importante armazenar a CTe, ele deve ser mantido para ser apresentado à administração tributária. Isso é regra estabelecida pelo Ajuste SINIEF 09/2007. Você deve verificar a validade e autenticidade do CTe e armazenar pelo prazo estabelecido na legislação tributária.

Para armazenar esses documentos sua empresa pode usar o meio digital e fazer o armazenamento em nuvem, é muito simples e você terá o documento sempre que precisar com muita facilidade.

Não deixe de acompanhar outros artigos sobre esse e outros temas, essas informações são importantes e você não pode correr o risco de fazer algo errado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *