Contabilidade Digital e Contabilidade Tradicional

O mundo está cada dia mais globalizado e unificado. Podemos creditar a isso o advento e expansão da internet, que interligou pontos distantes da Terra em questão de segundos. Por conta disso, grande parte das operações teve que ser, de certa maneira, informatizada. A isso, pode se dar o nome de Revolução Digital.

A Revolução Digital mudou o modo como as pessoas consomem, trabalham, se comunicam e divertem. Você pode comprar coisas pela internet, pode trabalhar por Skype, pode conversar por e-mail ou por aplicativos de mensagens e pode assistir filmes e ouvir música online.

A área da contabilidade teve que se readequar para se estabelecer nesses novos padrões cotidianos do ser humano. Para isso foi criada a Contabilidade Digital. Mas o que é a Contabilidade Digital?

O conceito de contabilidade digital

A contabilidade digital é a contabilidade tradicional, mas feita de maneira digitalizada. Grande parte dos documentos atualmente são digitais. A contabilidade digital, é uma adequação a informatização dos documentos.

Pode ser considerada um progresso em relação a contabilidade tradicional principalmente porque agilizou os processos de escrituração e armazenamento de dados. Ainda mais porque o volume de dados que as empresas estão recebendo é cada vez maior, o que demanda tal agilidade e dinamicidade.

A mudança de padrão dos livros-caixa e arquivos para arquivos digitais e softwares que visam auxiliar na contabilidade, exige tempo e algum gasto. Essa é a maior desvantagem da contabilidade digital.

Investimentos em softwares que trabalhem cada vez mais rápido e melhor para dar conta de contabilizar e armazenar dados podem envolver uma quantidade razoável de dinheiro. Assim como os investimentos em treinamento dos profissionais para que saibam lidar com tais softwares e dar prosseguimento a dinamicidade do processo.

No entanto, é necessário se conscientizar de que são investimentos. Não é gasto puro e simples de dinheiro: haverá um retorno. A otimização do trabalho de seus funcionários faz com que o mecanismo da empresa acabe por funcionar adequadamente e sem maiores problemas.

A revolução da contabilidade digital em âmbito brasileiro ocorre quando o governo cria o SPED, em 2001. O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) é um software que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscais e contábeis das empresas de maneira padronizada. Quem disponibiliza o SPED é a Receita Federal para as empresas enviarem suas informações fiscais, contábeis e previdenciárias para o governo.

Através do SPED, o contribuinte pode validar os arquivos, assinar e visualizar seu conteúdo, além da transmissão eletrônica. Foi através do SPED que várias outras funções digitalmente específicas dentro da área da contabilidade foram instituídas, como o e-Social e a Nota Fiscal Eletrônica.

A Nota Fiscal Eletrônica, ou NF-e, foi criada em 2005 e implementada em 2006, para todo o país. Consiste em um documento de fim fiscal, existente apenas em formato digital, que é emitido e assinado digitalmente. Esse documento permitiu a diminuição dos gastos com papéis e com tinta de impressão, além de reduzir o espaço de armazenamento das notas.

Pode-se perceber então que a contabilidade digital se mostra mais vantajosa do que a contabilidade tradicional por diversos fatores. Um deles é que a contabilidade digital está inserida em um contexto contemporâneo, onde grande parte das coisas é gerada digitalmente. Podemos citar também a nova agilidade dos processos, uma vez que não demanda um peso físico de papéis para serem efetuados.

Outro fator é a confiabilidade dos documentos e do processamento dos dados, uma vez que, digitalmente, são criados de maneira mais fácil, mecanismos para atestar a veracidade dos dados. Por fim, podemos citar a redução de custos com a confecção de notas fiscais, já que, virtualmente, elas não demandam papel e tinta. Isso também resultou em uma redução de necessidade de grandes espaços e ajuda o meio ambiente.